.

Nos ambientes empresariais ou em nosso lar, o objetivo da limpeza é sempre o mesmo, pois precisa trazer bem-estar, saúde, proporcionando assim um ambiente confortável e saudável. No entanto é muito mais corriqueiro do que imaginamos adotar posturas ou procedimentos inadequados que sobrecarregam articulações e coluna ou utilizar produtos que não trazem resultados para a desejada limpeza. Quem nunca viu alguém torcer um pano até não poder mais, forçando sem perceber as articulações do pulso ou lavando uma calçada com sabão em pó por conta da espuma que ele produz sem se dar conta que o sabão somente funciona em fibras…

Pensando nisso e em você, separamos algumas situações comuns e dicas para vocês conseguirem a melhor relação custo benefício na limpeza doméstica ou de seu ambiente de trabalho:

01. Utilizar vassouras na limpeza:

Um dos erros mais clássicos é optar pela antiquada vassoura para limpeza de poeira e resíduos no chão. Esse método, além de muitas vezes apenas deslocar a sujeira de um lugar para outro ainda suspende partículas no ar que podem causar ataques de rinite alérgica e sinusite, além de oferecer grande desconforto para animais domésticos com o olfato mais sensível que o humano, como cães e gatos.

Em contrapartida temos o Mop, produto largamente utilizado para limpeza conhecido como o item oficial nas limpezas de shopping centers, lojas e empresas pela sua grande eficiência.

São divididos como Mop pó e Mop úmido, sendo o primeiro bastante usado em residências e pequenas empresas por remover a poeira do chão sem levantá-la, além de anular manchas e reter líquidos.

Mop úmido, por sua vez, economiza água e tempo, uma vez que seu material possibilita absorver mais água na secagem. Pode ser usado com espremedor, que serve para poupar o usuário de levar um pano sujo às mãos para torcer, otimizando a tarefa e valorizando a higiene.

Ambos substituem quase sempre a vassoura e a pá com um grande número de vantagens, sendo uma a ergonomia. Quando escolher o seu, vá de acordo com as suas necessidades: Mops pó feitos de acrílico, algodão e microfibra são ideais para combater a poeira. Os úmidos em algodão, por sua vez, são indicados para lavar pisos, enquanto os de lã são perfeitos para encerar e dar brilho ao chão.

02. Usar o mesmo pano em ambientes diferentes:

Infelizmente, de vez em quando vemos profissionais da limpeza utilizando o mesmo material que passaram no chão para limpar a pia em banheiros públicos. Não só a higiene é desconsiderada nesses casos, como também o bem-estar do usuário do banheiro que se sente lesado e receoso de usar um ambiente assim. Imagine então se isto acontecer num hospital.

A utilização de apenas um pano para ambientes distintos contribui muito para a proliferação de bactérias e demais microrganismos, também permitindo que seres prejudiciais ocupem lugares em que não deveriam. Por exemplo: banheiros e locais de muita gordura possuem organismos próprios que podem se alastrar pela cozinha através de produtos que deveriam servir para limpar a casa, podendo gerar problemas na saúde e até complicações mais graves.

Portanto, o ideal é possuir um conjunto de panos de cores distintas, um para cada setor da casa, de forma intuitiva que se diferencie para que serve cada um.

Profissionalmente a preocupação é ainda maior, trata se da saúde dos clientes. Por exemplo, se for um supermercado os setores de produção como padaria, açougue, confeitaria, peixaria, etc.. Devem trabalhar com panos descartáveis da cor branca para evidenciar qualquer sujidade do ambiente. Já as outras limpezas como prateleiras de gondolas e caixas, utilizar panos coloridos.

03. Usar sabão em pó para limpar o chão:

O sabão em pó sempre foi o favorito e o ideal para lavar as roupas, e nem poderia ser o contrário: Grandes marcas do produto já são registradas na maioria das lavanderias do país, marcando presença ao lado da máquina de lavar da nossa casa. Mas o que pouca gente sabe é que usá-lo para auxiliar na higienização de pisos pode, por exemplo, acabar corroendo o azulejo se o uso for frequente.

Por ter uma formulação alcalina, o sabão em pó possui uma ação de desgaste no piso, apesar de parecer limpo, são criados micro buracos no chão que facilitam o acúmulo de sujeira posterior, por isso é raro superfícies de granito manter o “brilho de novo” após o uso frequente deste tipo de produto.

É aconselhado então o uso de limpadores específicos para cada superfície, existem excelentes opções para pisos com versões amoniacadas, cloradas, oxigenadas, perfumadas ou não, sabão em pó só funciona em tecidos.

04. Lavar as janelas em dias ensolarados:

O dia está Lindo. Ensolarado! Vamos aproveitar e limpar todas as janelas! Certo? Infelizmente não. O calor e os raios solares secam a solução de limpeza antes mesmo de enxaguar manchando os vidros. O ideal é lavar em dias em que a temperatura seja amena, aplique o limpa vidros específico (o detergente neutro também pode deixar manchas) com uso de panos ou do acessório limpa vidros e retire em seguida com auxílio de um rodo pequeno. Use um pano adicional para limpar os excessos.

05. Usar a esponja errada:

Aqui, o maior risco é utilizar um equipamento abrasivo demais para o que você deseja limpar. Por exemplo: Esponjas com a parte traseira na cor verde são preferenciais para serviços de limpeza pesada, como o fundo de panelas ou grelhas de churrasco; ao mesmo tempo que deixam riscos em superfícies como as de cerâmica e plástico.

Em contraponto, as esponjas com a parte traseira na cor branca são mais delicadas e leves, sendo ótimas para limpar a sujeira da banheira ou janelas e vidros.

06. Utilizar produtos mágicos:

Nos dias atuais é bastante comum procurarmos por praticidade em tudo o que fazemos, no entanto, quimicamente não existe mágica! Cada produto é desenvolvido para uma aplicação específica como vimos no caso do sabão em pó. Utilizar produtos altamente alcalinos para desobstrução encanamentos são um exemplo de situação onde a expectativa com o produto de limpeza não corresponde. A alcalinidade destes produtos acaba por corroer a tubulação causando mais problemas do que solução. Neste caso o melhor é chamar os profissionais da área ou ainda, preventivamente, trabalhar com biodigestores que consomem os resíduos orgânicos das tubulações.

Outra situação bastante usual é encontrarmos piso de prédios e condomínios manchados. A ansiedade em remover manchas, faz com que sejam procurados produtos “Fortes” para eliminar as manchas, normalmente ácidos encontrados em ferragens. Se estes produtos forem aplicados de forma incorreta sem o conhecimento do tipo de piso e forma de uso, o manchamento será permanente, não sairá mais. “Forte” nestes casos é saber utilizar o produto “correto”, específico para o tipo de mancha a ser removida. Consulte nossos consultores, será um prazer auxiliar na remoção da mancha.

07. Misturar dois produtos químicos diferentes:

Na mesma linha dos produtos milagrosos, quando temos que lidar com uma tarefa difícil de limpeza sem obter muito sucesso, a frustração faz parecer tentadora a ideia de usar métodos criativos para combater a sujeira. Entretanto, antes de ser deixado levar pelo desejo de testar novas misturas, busque saber se realmente é seguro prosseguir. A grande maioria das pessoas sabe dos perigos de se misturar água sanitária e amônia. Porém, os perigos de fazer o mesmo com componentes de limpeza de outros tipos também é real, com riscos graves para a saúde do usuário.

A realidade é que alguns produtos, totalmente seguros e eficientes quando usados sozinhos, podem liberar gases tóxicos e demais reações químicas perigosas quando em reação com outros. Por mais que conheçamos uma ou outra combinação perfeitamente segura, é sugerido não arriscar demais.

Em especial, misturas como peróxido de hidrogênio e vinagre; água sanitária e vinagre e água sanitária e álcool jamais devem ser realizadas, por apresentar risco enorme de intoxicação e até pequenas explosões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *